Fechar
Play Video

“É preciso criar possibilidades para um Estado menor e mais eficiente”, diz presidente da Riachuelo

DEBATEDORES | Flávio Rocha

Recuperar a competitividade é o grande desafio do Brasil. O presidente da rede varejista Riachuelo, Flávio Rocha, acredita que existe espaço para uma reforma tributária que contribua para o desenvolvimento de um Estado mais eficiente. “As únicas fórmulas da prosperidade são a democracia e o livre mercado. Esse binômio poderá trazer resultados rápidos e mudanças de rumo”. Durante entrevista à plataforma UM BRASIL, o administrador de empresas analisou o cenário político-econômico do País e falou sobre a urgência em reduzir os gastos públicos. “É preciso rever contas e criar possibilidades para um Estado menor, que caiba no orçamento”. Segundo levantamento do Banco Mundial, o Brasil integra a lista dos vinte piores ambientes de negócios do mundo. “Em termos de atratividade de investimentos, estamos ao lado de países como Venezuela, Argentina e Coreia do Norte. Temos que reverter esse quadro em benefício da sociedade, pois, com o retorno do investimento, aumenta-se a demanda por mão de obra, e as condições de trabalho irão melhorar”. Para Rocha, o momento pede maior protagonismo do empresariado. “O centro locomotivo para a mudança é a empresa privada. O empresário precisa sair da zona de conforto, defender seus interesses e o livre mercado. O Brasil tem uma classe empresarial capaz de ocupar seu espaço com muitas vantagens”. Otimista, o CEO também falou sobre o mercado do varejo e disse ser possível, em um curto período de tempo, resgatar a confiança do investidor e do consumidor. “Essa é a gênese de todas as mudanças que precisamos”.

Mais Vistos