Fechar
Play Video

Brasil criou uma geração de jovens que questiona a política, dizem especialistas

DEBATEDORES | Oscar Vilhena Luciana Yeung

Desde 2013, o Brasil vive um período social turbulento porque os cidadãos passaram a questionar a política, avaliam os professores Oscar Vilhena, diretor do curso de Direito da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-SP), e Luciana Yeung, coordenadora dos cursos de graduação do Insper. Em entrevista ao UM BRASIL, Vilhena diz que o comportamento dos jovens de hoje é fruto dos direitos estabelecidos pela última Constituição Federal.

“Começamos a ver a abertura desse olho do furacão em 2013, quando a garotada foi para a rua. Todo o pacto que fizemos em 1988 criou uma nova geração de brasileiros que acredita que tem direitos.”

Para Yeung, esse movimento se choca diretamente com a crítica de que até pouco tempo o brasileiro não se interessava por política. “Agora temos o voto, a organização das ruas e mais uma coisa nova que é a tecnologia. O espaço digital tem se tornado muito importante para uma participação maior das pessoas [na política]”, diz a doutora em economia.

Segundo Vilhena, esse “processo social de questionamento e ruptura não é linear e não é suave” e, com isso, o Judiciário foi abastecido com uma série de ferramentas novas, como a delação premiada. Para os professores, o Judiciário só terá condições de assumir um novo papel na sociedade através de um aperfeiçoamento de sua gestão, para dar celeridade aos processos.

Mais Vistos
Fique por dentro de todo conteúdo
UM BRASIL
Assina a Newsletter um Brasil