Fechar
Play Video

“A internet se transformou em um exercício de autoafirmação”, diz Francesc Dalmases

DEBATEDORES | Francesc Badia i Dalmases

Embora a internet contribua para ampliar o pluralismo midiático de uma sociedade, o poder que o leitor tem de escolher o que lê pode se transformar num exercício de autoafirmação. É o que avalia Francesc Badia i Dalmases, analista político especializado em assuntos internacionais e diretor da plataforma global de mídia DemocraciaAbierta, também conhecida como openDemocracy.

Em entrevista ao UM BRASIL, realizada em Curitiba durante a 2ª Semana da Democracia, evento organizado pelo Instituto Atuação, Dalmases diz que, por conta disso, é importante que ainda tenhamos jornais diários e programas jornalísticos na TV, para evitar que se selecione tudo o que lê.

“A visão global que um jornal nos proporciona se fragmenta na internet. Como não temos o jornal em mãos, é mais difícil se informar de maneira global. Assim começam os problemas do ponto de vista onde o leitor procura o que lhe interessa, ou que acredita que deva ler. [A internet] transforma-se num exercício de autoafirmação, de construção de sua própria visão de mundo, sem equiparar com uma visão mais geral”, afirma o mestre em Sociologia da Informação e do Conhecimento.

De acordo com ele, a mídia tem papel fundamental nos lugares em que a democracia está crescendo. Por isso, a América Latina, embora tenha seus problemas político-econômicos, vive o ambiente democrático, diferentemente de regiões como o mundo árabe, a África, a Rússia e a China.

“A democracia está viva [na América Latina]. Embora com dificuldades, com retrocessos, [também] com enormes avanços, com inovação, é um espaço vibrante. A complexidade do mundo democrático faz com que muitas pessoas abandonem a luta, o interesse de preservar os valores da democracia. Na América Latina, ainda há muita energia”, afirma Dalmases.

Particularmente sobre o Brasil, o diretor do DemocraciaAbierta diz que o País “passa por um momento de mudança política muito acelerado e que gera muita ansiedade para resolver os problemas”. No entanto, é a alternância de poder que faz a democracia se perpetuar.

Na entrevista, Dalmases comenta a crise atual por que passam os meios de comunicação tradicionais, o papel dos veículos de imprensa independentes e compara o estado da democracia nos países desenvolvidos com os emergentes.

Mais Vistos