Fechar

nov 09, 2020

João Bilhim – Estadão

JOÃO BILHIM

Envolvido há alguns anos com propostas de uma grande Reforma Administrativa, o Brasil pode tirar muitas lições da experiência portuguesa, que atravessou um processo semelhante há pouco mais de uma década. Por isso, o canal UM BRASIL, da FecomercioSP, conversou com o professor João Bilhim, da Universidade de Brasília (UnB), que encabeçou por alguns anos a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP) do país europeu. O tema – tão caro para a realidade brasileira – foi destacado em matérias impressa e online do jornal O Estado de S. Paulo.

O foco da reportagem gira em torno da criação, em Portugal, de uma agência independente de recrutamento e seleção de funcionários públicos: “A ideia de uma agência reguladora do RH do serviço público começa a ganhar força também no Brasil, em meio à discussão da Reforma Administrativa em tramitação no Congresso, para afastar a ingerência política na escolha dos dirigentes”. João Bilhim explica que, pela legislação aprovada no país europeu, a agência não pede (nem pode receber) orientações dos governos para fazer a seleção”, diz um trecho do texto.

A entrevista, concedida a Renato Galeno, usa a experiência de Bilhim, além do seu trabalho acadêmico em torno do assunto, para debater justamente a proposta de reforma em andamento no Brasil. No nosso caso, ele não apenas aponta elementos importantes para elaborar qualquer projeto de reforma, considerando circunstâncias de cada país, os agentes que atuam como satélites do Estado, etc., como também aponta – com alguns anos de distância – o que deu certo e deu errado em Portugal.

Veja a matéria do Estadão na íntegra: Reforma em Portugal vira referência

Assista à entrevista completa: Lições de Portugal sobre a Reforma Administrativa

Fique por dentro de todo conteúdo
UM BRASIL
Assina a Newsletter um Brasil