FÓRUM ESTADÃO

O Estadão é um parceiro do UM BRASIL que promove forte ampliação dos temas e conteúdos que produzimos. O mais novo projeto criado em parceria é o Fórum Estadão - Equilíbrio entre os Poderes.

O evento conta também com a parceria da Tendências Consultoria e da FecomercioSP. O tema é bastante oportuno nesse momento do País, já que a nossa economia, que vem abalada por forte crise, tem sido diretamente afetada pelos conflitos entre Judiciário, Legislativo e Executivo.

A programação do evento foi estrategicamente construída a fim de se ter visões antagônicas de especialistas econômicos e do Direito. O assunto precisa ser debatido para que não afete ainda mais a economia do País. Por esse motivo, UM BRASIL e Estadão se planejaram para trazer o debate à tona e sensibilizar a sociedade.


Milton Seligman e Luiz Felipe Dávila

Reformas para além do sistema eleitoral, com Milton Seligman e Luiz Felipe d'Avila

O que é possível esperar de 2018 no que diz respeito ao amadurecimento da cidadania e fortalecimento das instituições democráticas?

O cientista político e diretor-presidente do Centro de Liderança Pública (CLP), Luiz Felipe d'Avila, e o professor do programa em Gestão e Políticas Públicas do Insper, Milton Seligman, debatem com Humberto Dantas os efeitos e a importância da descentralização do poder e discutem como as reformas no sistema político brasileiro podem avançar para além de alterações no sistema eleitoral.

O debate foi gravado durante o evento “A Reforma Política que Queremos”, realizado pela FecomercioSP em parceria com UM BRASIL e o jornal O Estado de São Paulo, no dia 27 de abril de 2017.

“A democracia não vence por nocaute”

O PROTAGONISMO DO JUDICIÁRIO NA POLÍTICA, NO DEBATE COM AYRES BRITTO E ARMANDO CASTELAR

Como as recentes tensões entre os três poderes têm afetado o funcionamento da política e de que maneira esses potenciais conflitos reacendem a discussão sobre os limites e as competências do poder Judiciário são os temas deste debate com o ministro aposentado e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, e o coordenador de Economia Aplicada da FGV, Armando Castelar.

Mediado pelo jornalista Renato Galeno, a entrevista com Ayres Britto e Castelar discute ainda o impacto das decisões monocráticas na segurança jurídica do Estado e a responsabilidades do Legislativo e Executivo nas recentes decisões do Judiciário.

“O importante é fazer boas leis”

O DESEQUILÍBRIO ENTRE OS PODERES, POR ÉRICA GORGA E JOSÉ MÁRCIO CAMARGO

O aumento da tensão entre os três poderes desde o início da operação Lava Jato tem afetado a economia como um todo.

Neste debate, mediado pelo jornalista Renato Galeno, a professora da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV, Érica Gorga, e o professor titular de Departamento de Economia da PUC-RJ, José Márcio Camargo, discutem a necessidade de atualização das leis frente ao atual cenário fiscal, o aumento da participação do Judiciário nas decisões dos demais poderes e a responsabilidade do Legislativo na criação de boas leis.

"Polarização político-partidária aumenta a demanda do Judiciário "

MAÍLSON DA NÓBREGA E RAFAEL CORTEZ DISCUTEM O PAPEL POLÍTICO DO JUDICIÁRIO

O economista e ex-ministro da Fazenda, Maílson Ferreira da Nóbrega, e o professor e analista político da Tendências Consultoria Integrada, Rafael Cortez, discutem as tensões entre o Judiciário e os demais poderes e os efeitos do atual protagonismo do STF na politização dos conflitos neste debate conduzido pela jornalista Maria Cristina Poli.

Maílson e Cortez analisam ainda a segurança jurídica e como a imprevisibilidade nas decisões da Justiça refletem no mercado e nos negócios do País.

"A crise hoje traz uma oportunidade de retomar o fio da meada"

GUSTAVO LOYOLA

ANÁLISE ECONÔMICA DO PANORAMA JURÍDICO, POR GUSTAVO LOYOLA

NGustavo Loyola, economista e sócio da Tendências Consultoria Integrada, conversa com a jornalista Maria Cristina Poli sobre os problemas de insegurança jurídica e a necessidade de revisitar a atuação dos três poderes no País. No debate, Loyola discute sobre a oportunidade que a crise traz para uma retomada no crescimento. Segundo o economista, "existe uma percepção de que a experiência dos últimos anos deu errado.