Entrevistas



"O Brasil é e sempre será um país atrativo"

Deborah Stern Vieitas

Comércio exterior brasileiro precisa ocupar seu espaço, por Deborah Stern Vieitas

O UM BRASIL conversa com a CEO da AMCHAM Brasil, a Câmara Americana de Comércio, Deborah Stern Vieitas. Primeira mulher a assumir a presidência da AMCHAM, Vieitas passou pela direção de grandes instituições financeiras, em constante diálogo com investidores nacionais e estrangeiros. Diante da atual crise, ela analisa as perspectivas de atração de investimentos, a necessidade de expansão do comércio exterior e os desafios do ambiente de negócios brasileiro.

A executiva avalia que poucos países são tão atrativos ao capital estrangeiro como o Brasil, e vê com grande expectativa o potencial empreendedor dos brasileiros.

Uma produção da Plataforma UM BRASIL em parceria com o IRIC - Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior.

“Mentiras nas redes tem consequências reais”

Alexis Wichowski

Pós-verdade na era da informação, por Alexis Wichowski

Especialista em tecnologia, mídia e comunicação, Alexis Wichowski é professora de International and Public Affairs na Universidade de Columbia e secretária de imprensa da cidade de Nova York. Em sua segunda entrevista ao UM Brasil, ela analisa dois dos mais prementes desafios da democracia mundial contemporânea: o fenômeno da “pós-verdade” e polarização nas mídias sociais.

Uma produção da Plataforma UM BRASIL em parceria com a Columbia Global Centers | Rio de Janeiro e Comunitas.

Diversidade brasileira não cabe em legislação inflexível, por Ney Prado

Presidente da Academia Internacional de Economia e Direito (AIDE) e Desembargador Federal do Trabalho aposentado, Ney Prado fala ao UM BRASIL sobre a necessidade de modernização do sistema jurídico brasileiro. Segundo avalia, abrangência da constituição de 1988 gera excesso de legislação, que resulta em insegurança jurídica e conflito entre poderes. O jurista argumenta que diversidade brasileira não cabe em legislações inflexíveis – como a CLT – e o estado deve permitir maior autonomia nas relações sociais

“Não conseguimos ainda ser cidadãos”

Ney Prado

"A cada ano, o custo de não fazer reformas fica maior"

Ana Carla Abrão

Brasil precisa de estados menores e fiscalmente responsáveis, por Ana Carla Abrão

Economista e atual presidente do Conselho de Gestão Fiscal da cidade de São Paulo, Ana Carla Abrão fala sobre sua experiência à frente da Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás entre 2014 e 2016 – período em que promoveu ajuste fiscal e reformas estruturais que evitaram que o estado se tornasse “um Rio de Janeiro”.

A economista defende que os estados brasileiros sejam menores, mais transparentes e fiscalmente responsáveis. Ela aborda ainda as reformas econômicas no âmbito federal, perspectivas para eleições de 2018 e atuação das mulheres no mundo corporativo.